NFL Record Contracts: Michigan Sport Alunos de conferências de negócios discutem a recente enxurrada de grandes negócios da NFL

MSBC Spotlight Series apresentará os melhores & Líderes em esportes mais brilhantes e promissores

(FUTRSPRT) (18 de setembro de 2020)

Cortesia da Michigan Sport Business Conference

Para não perder um episódio do Podcast FUTRSPRT com Bram Weinstein, fique à vontade para se inscrever aqui .

O que há em um nome? FUTRSPRT está constantemente tentando pensar sobre o que vem a seguir. É evidente que os jovens estudantes da Universidade de Michigan são os futuros pioneiros na indústria de esportes e entretenimento. A Michigan Sport Business Conference (MSBC) da U of M é a prova de que esses alunos podem brilhar no grande palco.

Em um esforço para fornecer à MSBC uma avenida para florescer ainda mais, FUTRSPRT x MSBC terá uma série recorrente de discussões todos os ângulos de esportes, negócios e tecnologia. Os alunos da MSBC Sophie Goldberg, Brett Davidson e Jacob Stillman se divertem um pouco falando sobre a recente enxurrada de contratos recordes da NFL. Esses jovens profissionais do esporte também discutem a estrutura dos negócios, os direitos de transmissão e o impacto duradouro que os jogadores terão em suas comunidades. Os alunos da MSBC são a nata da cultura – familiarize-se com seus nomes, imagens e semelhanças agora, pois eles logo serão o rosto de suas respectivas franquias.

Cada aluno recebeu a seguinte série de perguntas:

1. Com um afluxo de estrelas da NFL conseguindo contratos de registro recentemente, o que isso diz sobre o futuro dos contratos relativos a dinheiro garantido versus negócios baseados em incentivos? (ex. Mahomes essencialmente ano a ano depois de 2023)

2. Este é o boom de contratações semelhante ao da Liga Principal de Beisebol de 20 a 25 anos atrás? Em caso afirmativo, em que ano os contratos se estabilizarão? Os contratos da MLB foram suprimidos sistematicamente 2–3 temporadas atrás – como a NFLPA pode impedir isso no futuro.

3. Limites salariais há muito estão vinculados aos direitos de conteúdo / transmissão. Com os principais negócios de direitos sendo licitados, como o COVID embaralhará as avaliações corretas e, por sua vez, os contratos dos jogadores?

4. Com cada atleta sendo sua própria marca, como o quebrador de recorde recente alocará sua riqueza recém-descoberta? (Caridade / Imagem de marca / Investimentos)

5. O quarterback do Kansas City Chiefs, Patrick Mahomes, já comprou uma parte do Kansas City Royals – isso dará início a uma tendência de mega-estrelas ativas investindo em suas comunidades de “time da casa”? Em caso afirmativo, como será em 20 anos.

Sophie Goldberg – Cortesia da Michigan Sport Business Conference

Sophie Goldberg

Sophie Goldberg é formadora júnior Doutora em Psicologia pela Universidade de Michigan. Ela atua como gerente de contas da equipe de planejamento estudantil da Michigan Sport Business Conference.

1. Com um afluxo de estrelas da NFL conseguindo contratos de registro recentemente, o que isso diz sobre o futuro dos contratos relativos a dinheiro garantido versus negócios baseados em incentivos? (ex. Mahomes essencialmente ano a ano após 2023)

Devido ao influxo de contratos de registro dentro da NFL, com base em incentivos os contratos se tornarão mais comuns para jogadores de nível intermediário, enquanto os contratos garantidos serão mais prevalentes com jogadores de destaque. As equipes podem não ser capazes de garantir dinheiro aos seus jogadores porque as estrelas estão recebendo a maior parte do dinheiro alocado para os contratos. Eles podem ter que cortar alguns de seus jogadores mais velhos para jogadores novatos mais baratos que têm contratos menores. Os salários estão crescendo rápido demais para que o dinheiro seja garantido para todos.

2. Esse boom de contratos é semelhante ao da Liga Principal de Beisebol de 20 a 25 anos atrás? Em caso afirmativo, em que ano os contratos se estabilizarão? Os contratos da MLB foram suprimidos sistematicamente 2-3 temporadas atrás – como a NFLPA pode impedir isso no futuro.

Sim, isso é comparável ao boom de contratos da MLB que ocorreu anos atrás. Acho que os contratos da NFL se estabilizarão em 4 a 5 anos, à medida que expirarem.A diferença entre a NFL e a MLB é que a MLB não tem teto salarial e a NFL tem um teto salarial que foi negociado com a NFLPA e é obrigada a gastar uma certa quantia em contratos. Os jogadores da MLB têm poder, enquanto na NFL os proprietários têm mais poder.

3. Limites salariais há muito estão vinculados aos direitos de conteúdo / transmissão. Com os principais negócios de direitos sendo licitados, como o COVID embaralhará as avaliações corretas e, por sua vez, os contratos dos jogadores?

Ligas, equipes e redes foram muito afetadas pelo COVID. Os pacotes de direitos serão reduzidos devido à desaceleração econômica devido à COVID. Portanto, ligas e times terão menos receita para gastar em contratos com grandes jogadores. Os salários serão limitados a salários mais baixos. Eles não serão capazes de garantir dinheiro a todos os seus jogadores, então os contratos de incentivo se tornarão mais populares, pois eles não têm certeza do que o futuro reserva.

4. Com cada atleta sendo sua própria marca, como o quebrador de recorde recente alocará sua riqueza recém-descoberta? (Caridade / Imagem de marca / Investimentos)

Com a nova riqueza dos atletas, eles têm uma nova responsabilidade de usar esse dinheiro de forma estratégica e útil maneira. Acho que os atletas usarão sua riqueza recém-adquirida para melhorar sua imagem. Eles farão isso de várias maneiras: investindo em instituições de caridade, investindo em si mesmos e investindo em outras organizações. Essa capital dá a eles a oportunidade de construir sua influência e atrair fãs, especialmente jovens, que procuram as pessoas em busca de tendências e ideias.

5 . O quarterback do Kansas City Chiefs, Patrick Mahomes, já comprou uma parte do Kansas City Royals – isso dará início a uma tendência de mega-estrelas ativas investindo em suas comunidades de “time da casa”? Se for assim, como será em 20 anos.

Na minha opinião, a compra de uma parte dos Royals por Mahomes começará uma tendência. Os atletas famosos continuarão a construir raízes em suas comunidades por meio de investimentos em esportes e outros negócios locais. Isso não é apenas um bom negócio para eles, pois esses investimentos crescerão, mas também um investimento em sua própria marca, pois esses laços com a comunidade fortalecerão e aumentarão suas oportunidades. Em 20 anos, acho que será normal e quase presumido que mega-estrelas ativas possuirão partes de equipes ou outros negócios dentro da comunidade.

Brett Davidson – Cortesia da Michigan Sport Business Conference

Brett Davidson

Brett Davidson é um júnior com especialização em Economia na Universidade de Michigan. Ele atua como gerente de marketing de mídia social da equipe de planejamento de alunos da Michigan Sport Business Conference.

1. Com um afluxo de estrelas da NFL conseguindo contratos de registro recentemente, o que isso diz sobre o futuro dos contratos relativos a dinheiro garantido versus negócios baseados em incentivos? (por exemplo, Mahomes essencialmente ano a ano após 2023)

No futuro, a maioria dos contratos se moverá em direção a uma porcentagem maior de garantia dinheiro, especialmente para jogadores superstar. O empoderamento dos jogadores aumentou nas últimas duas décadas e acredito que a NFLPA vai priorizar essa luta durante as negociações para o novo CBA. Nos dias de hoje, as estrelas da NFL não só estão mais cientes dos riscos do futebol, mas também estão confiantes o suficiente em si mesmas, pois vão pendurar as chuteiras se os riscos superarem os ganhos. Embora Andrew Luck tenha recebido uma grande quantia de dinheiro garantido em seu contrato em 2016, ele ainda achava que o risco de lesões graves era muito grande para continuar jogando.

2. Esse boom de contratos é semelhante ao da Liga Principal de Beisebol de 20 a 25 anos atrás? Em caso afirmativo, em que ano os contratos se estabilizarão? Os contratos da MLB foram suprimidos sistematicamente 2–3 temporadas atrás – como a NFLPA pode impedir isso no futuro.

Eu acredito que os contratos da NFL irão seguem um modelo semelhante ao da NBA no início de 2010, quando se afastaram dos negócios comuns de seis ou sete anos para cerca de 3 a 4 anos, que geralmente incluem opções de jogadores. Obviamente, isso dependerá das posições, já que posições menos suscetíveis a lesões, como QB, estarão mais inclinadas a atingir o mercado livre cedo e escolher seu próprio destino, correndo o risco de assinar um contrato de longo prazo com a equipe que as redigiu.

3. Limites salariais há muito estão vinculados aos direitos de conteúdo / transmissão. Com os principais negócios de direitos sendo licitados, como o COVID embaralhará as avaliações corretas e, por sua vez, os contratos dos jogadores?

Os efeitos do COVID nos esportes são ilimitados e o teto salarial não é diferente. Sem torcedores e menos receita do estádio certamente prejudica o teto salarial, no entanto, os acordos de TV oferecem uma chance de mantê-lo acima do piso de preço acordado de US $ 175 milhões. Com essa perda de receita para a NFL e a única saída disponível para assistir futebol sendo através desses acordos de TV, ambos os lados tentarão usar sua vantagem de acordo. As redes tradicionais, como Fox e CBS, podem ter influência, mas, eventualmente, serviços como Netflix, Amazon e Apple farão tudo ao seu alcance para perturbar esse mercado.

4. Com cada atleta sendo sua própria marca, como o quebrador de recorde recente alocará sua riqueza recém-descoberta? (Caridade / Imagem de marca / Investimentos)

O trabalho de caridade sempre foi uma ótima maneira para os atletas alocarem seu patrimônio para o início de seus fundações próprias ou retribuindo à sua cidade natal. Os investimentos também são maneiras eficientes de construir sua marca e obter retorno de sua riqueza recém-adquirida, algo que os atletas vêm utilizando há décadas, como Shaq e Magic Johnson. Construir sua própria marca, no entanto, tem sido uma forma popular recentemente para os atletas estabelecerem suas carreiras pós-aposentadoria, como KD com The Boardroom e LeBron James com Ininterrupted. Acho que isso permite que os atletas mantenham a voz após os esportes para iniciar uma segunda carreira.

5. O quarterback do Kansas City Chiefs, Patrick Mahomes, já comprou uma parte do Kansas City Royals – isso dará início a uma tendência de mega-estrelas ativas investindo em suas comunidades de “time da casa”? Em caso afirmativo, o que acontecerá em 20 anos.

Se mega-estrelas continuarem a receber grandes contratos de longo prazo que os travam em cidades semelhantes a Mahomes, então não me surpreenderia vê-los investindo nas comunidades em que vivem agora. Eu realmente acho que no mundo dos esportes de hoje é mais raro ver atletas permanecerem em um lugar durante toda a carreira, então o apego para uma cidade não é tão provável. Principalmente os zagueiros são os atletas com mais frequência que permanecem ligados a uma cidade como Tom Brady, Drew Brees e agora Mahomes.

Jacob Stillman – Cortesia da Michigan Sport Business Conference

Jacob Stillman

Jacob Stillman é um júnior com especialização em Gestão Esportiva na Universidade de Michigan. Ele atua como gerente de experiência de conferência para a equipe de planejamento de alunos da Michigan Sport Business Conference.

1. Com um afluxo de estrelas da NFL conseguindo contratos de registro recentemente, o que isso diz sobre o futuro dos contratos relativos a dinheiro garantido versus negócios baseados em incentivos? (ex. Mahomes essencialmente ano a ano após 2023)

Depende da alavancagem em cada situação. Para um jogador estrela com vantagem que um time precisa manter, eu esperaria contratos fortemente garantidos favorecendo o jogador. Por outro lado, quando uma equipe tem vantagem nas negociações, os contratos baseados em incentivos são favoráveis ​​para a equipe. Eu esperaria que os negócios continuassem a seguir essas estratégias.

2. Esse boom de contratos é semelhante ao da Liga Principal de Beisebol de 20 a 25 anos atrás? Em caso afirmativo, em que ano os contratos se estabilizarão? Os contratos da MLB foram suprimidos sistematicamente 2-3 temporadas atrás – como a NFLPA pode impedir isso no futuro.

A partir de uma lente especulativa, Eu esperaria que os contratos se estabilizassem quando a inflação se tornasse um problema muito grande em relação ao teto salarial e as equipes consistentemente enfrentassem problemas. Se a NFLPA antecipar que uma supressão sistemática do contrato pode ser um problema, eles podem negociar proativamente com os proprietários e fazer o possível para chegar a algum tipo de acordo para evitar uma disputa. Embora essas negociações nem sempre tenham sido as mais tranquilas, seja para reavaliar o CBA atual ou seções referentes a contratos, uma comunicação clara parece ser um curso de ação sólido.

3. Limites salariais há muito estão vinculados aos direitos de conteúdo / transmissão. Com os principais negócios de direitos sendo licitados, como o COVID embaralhará as avaliações corretas e, por sua vez, os contratos dos jogadores?

Com o COVID enviando ondas de choque financeiro por meio de empresas de mídia em todo o mundo, eu esperaria que os acordos de direitos fossem menos valiosos. Como resultado, os contratos dos jogadores podem cair no futuro próximo. No entanto, um ponto interessante a se notar é que à medida que o esporte continua a não permitir torcedores, a transmissão de jogos assume um papel ainda mais importante por ser a única forma de acesso aos jogos.Por essa teoria, seria mais valioso, mas não vejo os negócios certos aumentando pelo primeiro motivo.

4. Com cada atleta sendo sua própria marca, como o quebrador de recorde recente alocará sua riqueza recém-descoberta? (Caridade / Imagem de marca / Investimentos)

À medida que negócios mais lucrativos são fechados, mais atletas podem seguir modelos definidos por alto estrelas de perfil no estabelecimento de empreendimentos empresariais como empresas de mídia, linhas de moda ou oportunidades de investimento. Muitos atletas têm sonhos fora do campo, e contratos mais lucrativos tornam mais fácil para eles perseguir tudo o que os motiva.

5. O quarterback do Kansas City Chiefs, Patrick Mahomes, já comprou uma parte do Kansas City Royals – isso dará início a uma tendência de mega-estrelas ativas investindo em suas comunidades de “time da casa”? Em caso afirmativo, como será em 20 anos.

Eu definitivamente poderia ver isso se tornando uma tendência, embora não necessariamente na cidade em que o jogo em. Comunidades de “time da casa” podem ser seu time favorito crescendo (claro em um esporte diferente), ou perto de onde eles estudaram. Tenho certeza de que é muito gratificante para os atletas fazerem parte de organizações esportivas fora das suas, que significam muito para eles. Além disso, investir em uma organização esportiva permite que os atletas diversifiquem sua riqueza, o que é vantajoso.

A Conferência de Negócios Esportivos de Michigan realizará uma conferência virtual de 21 a 23 de outubro! A conferência será uma combinação de oradores principais, painéis de conversas, workshops íntimos e sessões de aprendizagem, bem como muitas outras oportunidades de networking e recrutamento. Os ingressos já estão disponíveis! Registre-se em https://www.eventbrite.com/e/msbc-2020-presented-by-morgan-stanley-registration-116043273555 .